Clínica Covid-19

Introdução

Os coronavírus são importantes patógenos humanos e animais. No final de 2019, um novo coronavírus foi identificado como a causa de um grupo de casos de pneumonia em Wuhan, uma cidade na província de Hubei, na China. Ele se espalhou rapidamente, resultando em uma epidemia em toda a China, seguida por uma pandemia mundial. Em fevereiro de 2020, a Organização Mundial de Saúde designou a doença COVID-19, que significa doença do coronavírus 2019. O vírus que causa COVID-19 é denominado síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2).

Clínica Covid-19 : Principais Sintomas

  • Tosse 50%
  • Febre 43%
  • Mialgia (Dores musculares) 36%
  • Dor de cabeça 34%
  • Dispneia (falta de ar) 29%
  • Dor de garganta 20%
  • Diarréia 19%
  • Náusea / vômito 12%
  • Anosmia ou outras anomalias de cheiro (Perda do olfato) 10%
  • Ageusia ou outras anormalidades gustativas (Perda de paladar) 10%
  • Rinorreia e / ou congestão nasal 10%
  • Calafrios / calafrios 10%
  • Fadiga 10%
  • Confusão mental 10%
  • Dor ou pressão no peito 10%

A prevalência dos sintomas variam muito conforme os diferentes estudos, alguns com menos incidência de febre 20%, outros com maior incidência de perda de paladar e olfato 52%.

Clínica Covid

Diagnóstico

Não há características clínicas específicas que possam distinguir com segurança COVID-19 de outras infecções respiratórias virais. No entanto, algumas características aumentam o nível de suspeita clínica. Principalmente falta de ar por vários dias após o início dos sintomas iniciais é sugestivo de COVID-19. Em um estudo de profissionais de saúde que foram testados para SARS-CoV-2 devido a sintomas leves consistentes, anosmia (perda de olfato) e mialgias (dores musculares) foram mais associados a um teste positivo. No entanto, nenhum desses achados estabelece definitivamente o diagnóstico de COVID-19 sem testes microbiológicos.

Todos os paciente com sintomas típicos devem ser testados para confirmação diagnóstica. Não existem achados específicos no exame físico que confirmem a infecção.

Exames

RT-PCR

RT- PCR – Reação em Cadeia Polimerase (Popularmante chamado de teste do cotonete).

O Que Faz?

Detecta material genético (RNA) do vírus na nasofaringe. Ou seja não diz se é vírus vivo capaz de infectar outras pessoas ou não. Isso depende exclusivamente do tempo de sintomas e da imunidade do paciente.

É Bom? Pra que serve?

Tem alta sensibilidade e especificidade. Ou seja grande de chance de acerto no diagnóstico se coletado no prazo correto e se realizado com número de ciclos correto taxa de falso negativo relatada varia de <5 a 40%.

Qual o melhor período para realizar RT-PCR?

Preferencialmente, entre o 3º e 4º da doença, podendo se estender até o 10º dia.
Em uma análise de sete estudos (incluindo dois relatórios não publicados) que avaliaram o desempenho de RT-PCR por tempo desde o início dos sintomas ou exposição, as taxas estimadas de resultados falso-negativos foram 100 por cento no dia da exposição, 38 por cento no dia 5 (estimado como o primeiro dia dos sintomas), 20 por cento no dia 8 e 66 por cento no dia 21.

A heterogeneidade entre os estudos e as suposições feitas na análise (por exemplo, sobre o período de incubação e o tempo de exposição) reduzem a confiança nesses resultados.

Um dos estudos incluídos na análise usou uma combinação de RT-PCR e um teste sorológico de IgM para fazer o diagnóstico de COVID-19 e sugeriu que as taxas negativas de RT-PCR eram <10% nos dias 1 a 3 da doença,> 20% no dia 6 e > 50 por cento após o dia 14; no entanto, esses resultados também devem ser interpretados com cautela, uma vez que o teste sorológico usado não foi validado para a detecção de infecção aguda e os testes de IgM freqüentemente são falsamente positivos. Outros estudos também sugeriram que os níveis de RNA viral são elevados antes do desenvolvimento dos sintomas (Isto é, em pacientes pré-sintomáticos).

Sorologia

Detecção de anticorpos.

O que faz?

Detecta a presença de anticorpos contra o vírus, ou seja se o sistema imune paciente produziu defesa específica para o combate da infecção podendo ter manifestado sintomas ou não.

É bom? Pra que serve?

Diagnóstico de infecção anterior (ou infecção de pelo menos 3 a 4 semanas de duração).
A sensibilidade e a especificidade são altamente variáveis a depender do quadro clinico e dos kits utilizados, portanto não é o mais indicado para realizar diagnóstico diante de um quadro gripal.

Qual o melhor período para realizar a sorologia?

Os anticorpos detectáveis geralmente levam vários dias a semanas para se desenvolver; A IgG geralmente se desenvolve 14 dias após o início dos sintomas.
Foi relatada reatividade cruzada com outros coronavírus e outros vírus como por exemplo Dengue.
Permanece incerto se um teste de anticorpos positivo indica imunidade contra infecções futuras.

Teste COVID

Tratamento

Não há no momento consenso a respeito de um único tratamento para todos os casos. Algumas medicações estão sendo testadas, todas com boa plausibilidade de funcionamento, mas nem todas conseguiram demonstrar real benefício de redução de mortalidade, internação e duração da doença, como por exemplo a hidroxicloroquina.

Contudo, novas evidências apontam em metanálises e revisões que a Ivermectina pode ser uma remédio com maior chance de taxas de sucesso conforme demonstraram alguns estudos. Uma análise de 45 estudos que envolve aprox. 230 mil pacientes demonstrou boa eficácia da droga tanto para os paciente que já apresentam a doença como prevenção para quem entrou em contato com algum paciente contaminado.

Ainda há necessidade de ensaios clínicos mais robustos para confirmação desses fortes indícios, porém já há evidência o suficiente para crer que há chance do uso da Ivermectina aliado ao uso de corticoides, anticoagulantes e a vitamina D ser um dos tratamento de escolha para o controle da pandemia. Novos estudos também apontaram um possível efeito benéfico no uso da Colchicina, ainda carente de melhores análises.

Apesar dos indícios, ainda não temos um padrão de qualidade suficiente para afirmar a eficiência dos tratamentos propostos.

Vacina

A vacinação para prevenção da SARS-CoV-2 é considerada a estratégia mais promissora para conter a pandemia. No segundo semestre de 2020, diversas vacinas se tornaram disponíveis para uso em diferentes partes do mundo, mais de 40 vacinas candidatas estavam em testes em humanos e mais de 150 em testes pré-clínicos. A Organização Mundial da Saúde mantém uma lista atualizada de vacinas candidatas em avaliação.

https://www.who.int/publications/m/item/draft-landscape-of-covid-19-candidate-vaccines

Os primeiros ensaios clínicos em humanos de vacinas SARS-CoV-2 começaram em março de 2020, e vários ensaios de fase III estão quase concluídos. Algumas dessas vacinas estão disponíveis para uso em diferentes países.

Essas vacinas produziram respostas neutralizantes e celulares em primatas não humanos sem evidências de aumento da doença. Eles demonstraram capacidade de gerar imunidade em testes em humanos de fase inicial, a maioria dos quais comparou os títulos de anticorpos de ligação ao receptor e anticorpos neutralizantes aos encontrados no soro de pacientes convalescendo de infecção anterior por SARS-CoV-2. É difícil comparar a imunogenicidade das diferentes vacinas candidatas com base nesses estudos, em parte devido à variedade dos métodos utilizados. Nenhum dos primeiros estudos identificou grandes preocupações de segurança, mas todas as vacinas provocaram efeitos adversos sistêmicos (febre, calafrios, dor de cabeça, fadiga, mialgia, dores nas articulações).

Os resultados dos ensaios de eficácia de fase III foram relatados para várias vacinas candidatas à SARS-CoV-2. Embora alguns desses dados sejam promissores, relatórios de ensaios completos são necessários para avaliar o real impacto e a segurança das vacinas, incluindo os efeitos na infecção por SARS-CoV-2. A durabilidade do efeito também precisará ser avaliada ao longo do tempo.

Referências

  1. A familial cluster of pneumonia associated with the 2019 novel coronavirus indicating person-to-person transmission: a study of a family cluster. Chan JF, Yuan S, Kok KH, To KK, Chu H, Yang J, Xing F, Liu J, Yip CC, Poon RW, Tsoi HW, Lo SK, Chan KH, Poon VK, Chan WM, Ip JD, Cai JP, Cheng VC, Chen H, Hui CK, Yuen KY Lancet. 2020;395(10223):514. Epub 2020 Jan 24.
  2. Early Transmission Dynamics in Wuhan, China, of Novel Coronavirus-Infected Pneumonia. Li Q, Guan X, Wu P, Wang X, Zhou L, Tong Y, Ren R, Leung KSM, Lau EHY, Wong JY, Xing X, Xiang N, Wu Y, Li C, Chen Q, Li D, Liu T, Zhao J, Liu M, Tu W, Chen C, Jin L, Yang R, Wang Q, Zhou S, Wang R, Liu H, Luo Y, Liu Y, Shao G, Li H, Tao Z, Yang Y, Deng Z, Liu B, Ma Z, Zhang Y, Shi G, Lam TTY, Wu JT, Gao GF, Cowling BJ, Yang B, Leung GM, Feng Z N Engl J Med. 2020;382(13):1199. Epub 2020 Jan 29.
  3. Clinical Characteristics of Coronavirus Disease 2019 in China. Guan WJ, Ni ZY, Hu Y, Liang WH, Ou CQ, He JX, Liu L, Shan H, Lei CL, Hui DSC, Du B, Li LJ, Zeng G, Yuen KY, Chen RC, Tang CL, Wang T, Chen PY, Xiang J, Li SY, Wang JL, Liang ZJ, Peng YX, Wei L, Liu Y, Hu YH, Peng P, Wang JM, Liu JY, Chen Z, Li G, Zheng ZJ, Qiu SQ, Luo J, Ye CJ, Zhu SY, Zhong NS, China Medical Treatment Expert Group for Covid-19 N Engl J Med. 2020;382(18):1708. Epub 2020 Feb 28.
  4. Centers for Disease Control and Prevention. Interim Clinical Guidance for Management of Patients with Confirmed Coronavirus Disease (COVID-19). Available at: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/hcp/clinical-guidance-management-patients.html.
  5. Coronavirus Disease 2019 Case Surveillance – United States, January 22-May 30, 2020. Stokes EK, Zambrano LD, Anderson KN, Marder EP, Raz KM, El Burai Felix S, Tie Y, Fullerton KE MMWR Morb Mortal Wkly Rep. 2020;69(24):759. Epub 2020 Jun 19.
  6. Clinical features of patients infected with 2019 novel coronavirus in Wuhan, China. Huang C, Wang Y, Li X, Ren L, Zhao J, Hu Y, Zhang L, Fan G, Xu J, Gu X, Cheng Z, Yu T, Xia J, Wei Y, Wu W, Xie X, Yin W, Li H, Liu M, Xiao Y, Gao H, Guo L, Xie J, Wang G, Jiang R, Gao Z, Jin Q, Wang J, Cao B Lancet. 2020;395(10223):497. Epub 2020 Jan 24.
  7. Self-reported Olfactory and Taste Disorders in Patients With Severe Acute Respiratory Coronavirus 2 Infection: A Cross-sectional Study. Giacomelli A, Pezzati L, Conti F, Bernacchia D, Siano M, Oreni L, Rusconi S, Gervasoni C, Ridolfo AL, Rizzardini G, Antinori S, Galli M Clin Infect Dis. 2020;71(15):889.
  8. Olfactory and gustatory dysfunctions as a clinical presentation of mild-to-moderate forms of the coronavirus disease (COVID-19): a multicenter European study. Lechien JR, Chiesa-Estomba CM, De Siati DR, Horoi M, Le Bon SD, Rodriguez A, Dequanter D, Blecic S, El Afia F, Distinguin L, Chekkoury-Idrissi Y, Hans S, Delgado IL, Calvo-Henriquez C, Lavigne P, Falanga C, Barillari MR, Cammaroto G, Khalife M, Leich P, Souchay C, Rossi C, Journe F, Hsieh J, Edjlali M, Carlier R, Ris L, Lovato A, De Filippis C, Coppee F, Fakhry N, Ayad T, Saussez S Eur Arch Otorhinolaryngol. 2020;277(8):2251. Epub 2020 Apr 6.
  9. Prevalence of Taste and Smell Dysfunction in Coronavirus Disease 2019. Mercante G, Ferreli F, De Virgilio A, Gaino F, Di Bari M, Colombo G, Russo E, Costantino A, Pirola F, Cugini G, Malvezzi L, Morenghi E, Azzolini E, Lagioia M, Spriano G JAMA Otolaryngol Head Neck Surg. 2020;
  10. The Prevalence of Olfactory and Gustatory Dysfunction in COVID-19 Patients: A Systematic Review and Meta-analysis. Tong JY, Wong A, Zhu D, Fastenberg JH, Tham T Otolaryngol Head Neck Surg. 2020;163(1):3. Epub 2020 May 5.
  11. Olfactory Dysfunction in Coronavirus Disease 2019 Patients: Observational Cohort Study and Systematic Review. Chung TW, Sridhar S, Zhang AJ, Chan KH, Li HL, Wong FK, Ng MY, Tsang RK, Lee AC, Fan Z, Ho RS, Luk SY, Kan WK, Lam SH, Wu AK, Leung SM, Chan WM, Ng PY, To KK, Cheng VC, Lung KC, Hung IF, Yuen KY Open Forum Infect Dis. 2020;7(6):ofaa199. Epub 2020 Jun 5.
  12. Prediction models for diagnosis and prognosis of covid-19 infection: systematic review and critical appraisal. Wynants L, Van Calster B, Collins GS, Riley RD, Heinze G, Schuit E, Bonten MMJ, Damen JAA, Debray TPA, De Vos M, Dhiman P, Haller MC, Harhay MO, Henckaerts L, Kreuzberger N, Lohman A, Luijken K, Ma J, Andaur CL, Reitsma JB, Sergeant JC, Shi C, Skoetz N, Smits LJM, Snell KIE, Sperrin M, Spijker R, Steyerberg EW, Takada T, van Kuijk SMJ, van Royen FS, Wallisch C, Hooft L, Moons KGM, van Smeden M BMJ. 2020;369:m1328. Epub 2020 Apr 7.
  13. Coronavirus Disease 2019 (COVID-19): Who Is at Increased Risk for Severe Illness? – People of Any Age with Underlying Medical Conditions. Centers for Disease Control and Prevention.
  14. Coronavirus Disease 2019 (COVID-19): Evidence used to update the list of underlying medical conditions that increase a person’s risk of severe illness from COVID-19. Centers for Disease Control and Prevention.
  15. Signs and symptoms to determine if a patient presenting in primary care or hospital outpatient settings has COVID-19 disease. Struyf T, Deeks JJ, Dinnes J, Takwoingi Y, Davenport C, Leeflang MM, Spijker R, Hooft L, Emperador D, Dittrich S, Domen J, Horn SRA, Van den Bruel A, Cochrane COVID-19 Diagnostic Test Accuracy Group Cochrane Database Syst Rev. 2020;7:CD013665. Epub 2020 Jul 7.
  16. The Early Natural History of SARS-CoV-2 Infection: Clinical Observations From an Urban, Ambulatory COVID-19 Clinic. Cohen PA, Hall LE, John JN, Rapoport AB Mayo Clin Proc. 2020;95(6):1124. Epub 2020 Apr 20.
  17. Strong associations and moderate predictive value of early symptoms for SARS-CoV-2 test positivity among healthcare workers, the Netherlands, March 2020. Tostmann A, Bradley J, Bousema T, Yiek WK, Holwerda M, Bleeker-Rovers C, Ten Oever J, Meijer C, Rahamat-Langendoen J, Hopman J, van der Geest-Blankert N, Wertheim H Euro Surveill. 2020;25(16)
  18. Seroprevalence of SARS-CoV-2 antibodies in people with an acute loss in their sense of smell and/or taste in a community-based population in London, UK: An observational cohort study.
  19. Makaronidis J, Mok J, Balogun N, Magee CG, Omar RZ, Carnemolla A, Batterham RL PLoS Med. 2020;17(10):e1003358. Epub 2020 Oct 1.
  20. Variation in False-Negative Rate of Reverse Transcriptase Polymerase Chain Reaction-Based SARS-CoV-2 Tests by Time Since Exposure. Kucirka LM, Lauer SA, Laeyendecker O, Boon D, Lessler J Ann Intern Med. 2020;173(4):262. Epub 2020 May 13.
  21. Profiling Early Humoral Response to Diagnose Novel Coronavirus Disease (COVID-19). Guo L, Ren L, Yang S, Xiao M, Chang , Yang F, Dela Cruz CS, Wang Y, Wu C, Xiao Y, Zhang L, Han L, Dang S, Xu Y, Yang QW, Xu SY, Zhu HD, Xu YC, Jin Q, Sharma L, Wang L, Wang J Clin Infect Dis. 2020;71(15):778.
  22. Evidence Supporting Transmission of Severe Acute Respiratory Syndrome Coronavirus 2 While Presymptomatic or Asymptomatic. Furukawa NW, Brooks JT, Sobel J Emerg Infect Dis. 2020;26(7) Epub 2020 Jun 21.
  23. Review of the Emerging Evidence Demonstrating the Efficacy of Ivermectin in the Prophylaxis and Treatment of COVID-19. Pierre Kory, MD1*, et al.
  24. https://c19study.com/
  25. World Health Organization. Draft landscape of COVID-19 candidate vaccines. https://www.who.int/publications/m/item/draft-landscape-of-covid-19-candidate-vaccines
  26. SARS-CoV-2 vaccines in development. Krammer F Nature. 2020;586(7830):516. Epub 2020 Sep 23.
  27. Understanding viral shedding of severe acute respiratory coronavirus virus 2 (SARS-CoV-2): Review of current literature. Fontana LM, Villamagna AH, Sikka MK, McGregor JC Infect Control Hosp Epidemiol. 2020;
  28. Cingapura (Nature, Le Bert et al., 2020)
  29. CDC, unpublished data, 2020; Midgley et al., 2020; Young et al., 2020; Zou et al., 2020; Wölfel et al., 2020; van Kampen et al., 2020.
  30. CDC, unpublished data, 2020; Wölfel et al., 2020; Arons et al., 2020; Bullard et al., 2020; Lu et al., 2020; personal communication with Young et al., 2020; Korea CDC, 2020.
  31. van Kampen et al., 2020
  32. The infection fatality rate of COVID-19 inferred from seroprevalence data. John Ioannidis medRxiv 2020.05.13.20101253; doi: https://doi.org/10.1101/2020.05.13.20101253
  33. Le Bert, N., Tan, A.T., Kunasegaran, K. et al. SARS-CoV-2-specific T cell immunity in cases of COVID-19 and SARS, and uninfected controls. Nature 584, 457–462 (2020). https://doi.org/10.1038/s41586-020-2550-z
  34. Robust T cell immunity in convalescent individuals with asymptomatic or mild COVID-19. T Sekine, A Perez-Potti, O Rivera-Ballesteros, K Strålin… – Cell, 2020 – Elsevier
  35. Kaul, S., Gupta, M., Bandyopadhyay, D. et al. Gout Pharmacotherapy in Cardiovascular Diseases: A Review of Utility and Outcomes. Am J Cardiovasc Drugs (2020). https://doi.org/10.1007/s40256-020-00459-1
Compartilhar:

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *